AQUI TEM FISCAL NÃO MOÇU

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:


Domingo à tarde, quando estava passando pela nossa praça central, deparei-me com um cenário muito feio e absolutamente triste: um varal com aquelas redes tipicamente nordestinas e outras coisas mais (aquelas pelas quais nos pedem R$ 100,00 e depois nos vendem por R$ 35,0), pendurado em árvores que há anos parecem agonizar por falta do mínimo de cuidado.

Ao lado um simples vendedor com sotaque do bom, humilde, sofrido e educado nordestino deitado num banco próximo, oferecia as mercadores a quem parasse para vê-las.

O cenário até combinava com nosso jardim, que me parecia totalmente abandonado, mal cuidado, grama feia, morrendo . . . nada lembrando uma cidade que ainda sonha ser turística. Aliás, DEUS já fez a sua parte para tal, resta aos homens completarem, resta-lhes fazer o mínimo: CUIDAR, fazer pequenos investimentos que certamente custam bem menos que uma viagem de 15 dias para a Europa e quem sabe um jardineiro fixo que não ganharia mais que uns R$ 800,00/mês.

Até aí, tudo bem, ou melhor, nem tudo bem.

Como um comerciante já fez uma denúncia aqui neste site a respeito dos ambulantes que atuam em nossa cidade, resolvi perguntar ao vendedor se ele tinha alguma autorização oficial para efetuar suas vendas.

Em sua simplicidade e ingenuidade ele respondeu sem vacilar: “tenho nãu; aqui tem nem fiscal moçu”.

Que tristeza! ! !

IVO JOSÉ FERREIRA
ivojotaf@hotmail.com

Artigo Anterior

ANTES E DEPOIS DO ALTIAQUI

Próximo Artigo

Ter prefeito “maluco” não é privilegio de Altinópolis.

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *