Prefeito afastado de Teresópolis é cassado por unanimidade

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

Votação na Câmara de Vereadores do município foi 12 a 0.
Prefeito não compareceu para se defender, segundo vereador.

O prefeito afastado de Teresópolis, na Região Serrana do Rio, Jorge Mário Sedlaceck (sem partido), foi cassado por unanimidade pelos vereadores em votação na Câmara nesta terça-feira (1º). Segundo o vereador Dr. Carlão, a votação foi por 12 votos a favor a zero contra a cassação.

O G1 tentou entrar em contato com o advogado que representa Mário Jorge, mas não obteve retorno.

Ainda segundo o vereador, o prefeito, apesar de ter o direito, não compareceu à votação para se defender. A cassação será publicada no Diário Oficial do município na quarta-feira (2).

Em agosto, vereadores de Teresópolis votaram pelo afastamento por 90 dias de Jorge Mário para que uma Comissão Processante pudesse investigar denúncias de mau uso do dinheiro destinado à recuperação da cidade após as chuvas de janeiro. Na ocasião, 392 pessoas morreram.

Dr. Carlão explicou que o presidente da Câmara, Arlei de Oliveira, (PMDB), segue à frente da prefeitura, onde estava desde a morte do então vice-prefeito, que tinha assumido após o afastamento de Jorge Mário.

O falecido prefeito Roberto Pinto, que ficou no cargo apenas dois dias, substituindo Jorge Mário não chegou a consolidar um secretariado. Roberto, de 67 anos, morreu de infarto.

De acordo com Dr. Carlão, agora o Tribunal Regional Eleitoral vai decidir se serão realizadas novas eleições e se elas serão diretas ou indiretas. O TRE será informado pelos vereadores na quinta-feira da decisão de afastamento.

Denúncias
Entre as denúncias de irregularidades apontadas pelos vereadores estão obras inacabadas, contratação de empresas sem licitação, falta de prestação de contas, além do uso indevido do dinheiro público para a recuperação da cidade. Teresópolis foi uma das cidades que mais sofreram com as chuvas de janeiro.

O prefeito deixou o PT no último dia 8 de julho, após as denúncias. Na época, sua assessoria de imprensa afirmou que ele já tinha a intenção de deixar o partido.

Posse conturbada
Após o afastamento, o então vice-prefeito Roberto Pinto chegou a assumir a prefeitura, numa posse conturbada. Ele foi impedido de entrar em seu gabinete na prefeitura.

Na ocasião, o prefeito interino então decidiu então usar o saguão da casa onde funciona a prefeitura para exonerar os secretários do governo. Após a confusão, um oficial de Justiça compareceu à prefeitura com uma ordem judicial para abrir o gabinete.

Fonte: G1

Artigo Anterior

Álcool, drogas, direção e irresponsabilidade. Só poderia terminar assim!

Próximo Artigo

Coluna “Ana Maria Gomes da Silva”

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *