Deputados da região de Ribeirão Preto empregam 122 na Assembléia

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

GABRIELA YAMADA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, DE RIBEIRÃO PRETO

Os sete deputados estaduais que representam a região de Ribeirão Preto empregam, juntos, 122 funcionários em seus gabinetes na Assembleia Legislativa de São Paulo.

O presidente estadual do PT, Edinho Silva, de Araraquara, é o que mais nomeou funcionários: são 24 no total.

A Folha compilou os dados dos servidores de cada gabinete a partir de uma lista, com os nomes de 3.488 servidores, publicada no “Diário Oficial do Estado” no sábado por determinação judicial, resultante de processo que tramita desde 2000.

A listagem, no entanto, não divulga os salários nem os cargos ocupados.

O democrata Gilson de Souza, de Franca, conta com 22 funcionários lotados em seu gabinete. Os tucanos Roberto Engler, de Franca, e Roberto Massafera, de São Carlos, contam com 19 e 18 funcionários, respectivamente.

RIBEIRÃO

Os três deputados de Ribeirão empregam, juntos, 39 funcionários. As contratações contam com ex-prefeito, ex-vereador, apresentador de programa de rádio e até colunista social.

Baleia Rossi, presidente do PMDB estadual e filho do ex-ministro Wagner Rossi (Agricultura), possui 12 funcionários no gabinete e desde janeiro tem em seu quadro de colaboradores o colunista social Manoel Simões.

Outro assessor do peemedebista é Ademir de Paula e Silva Segundo, ex-presidente da Apae de Guará.

Em 2009, Baleia beneficiou a instituição -à época presidida por Segundo- com uma emenda de R$ 50 mil.

A destinação da verba ocorreu quatro meses após Segundo ser nomeado assessor do peemedebista.

O jornalista e apresentador do programa “Rota da Verdade”, Lincoln Fernandes, é assessor parlamentar de Rafael Silva (PDT), que, por sua vez, é comentarista do mesmo programa, que vai ao ar pela rádio Clube AM, de Ribeirão.

O tucano Welson Gasparini emprega Luiz Otávio Garniel Giovanetti, ex-prefeito de Pradópolis, que em novembro teve pena reduzida pelo STF (Supremo Tribunal Federal) de quatro para dois anos de reclusão por crime de responsabilidade. A acusação foi de desvio de verba pública.

Procurado pela reportagem da Folha, Giovanetti afirmou que nunca cometeu o crime.

Também trabalha para o tucano o ex-vereador Osório Carlos do Nascimento, que teve sua primeira atuação na Câmara de Ribeirão em 1969.

Para Jorge Sanchez, presidente executivo da Amarribo Brasil, que representa a Transparência Internacional no país, o critério para nomeação de assessores deve ser técnico. “No geral, vemos hoje a existência de cabides de emprego, apadrinhamentos”, afirmou.

OUTRO LADO

Questionado sobre o número de funcionários em seu gabinete, o deputado Edinho Silva (PT) afirmou que teve que “marcar presença” em cidades onde recebeu votação expressiva. “Com a mesma massa salarial, tive que criar cargos por conta do perfil do meu mandato.”

Segundo ele, foram instaladas bases em cidades da região, como Franca, Ituverava, Serrana, Monte Alto e Ibitinga, e até no Vale do Paraíba, Campinas e São Paulo.

Rafael Silva (PDT) confirmou que o apresentador Lincoln Fernandes, do programa matinal de rádio, é seu funcionário comissionado. “Ele trabalha para mim e viaja na região. É assessor de sábado, domingo e feriado, não fica carimbando papel”, disse o deputado.

Silva afirma que o fato de Fernandes ser jornalista é um facilitador para que sejam levadas mensagens do gabinete à população.

Já o peemedebista Baleia Rossi, também de Ribeirão, usou do mesmo argumento quando questionado sobre a contratação do colunista social Manoel Simões.

“Ele é meu assessor em Ribeirão e região, conhece muita gente. Está em todas as cidades que visito, dizem até que ele é minha sombra”, afirmou Rossi.

Sobre o repasse à Apae de Guará, ele disse que a emenda foi apresentada em 2007, dois anos antes de Ademir de Paula e Silva Segundo, então presidente da entidade, ter sido nomeado para trabalhar em seu gabinete.

“Tenho um trabalho forte em Guará, onde fui o deputado mais votado”, afirmou.

Já Welson Gasparini (PSDB) afirmou que não vê impedimentos legais em manter o ex-prefeito de Pradópolis, Luiz Otávio Carniel Giovanetti, como funcionário. “Houve um julgamento recente e, até o momento, não vejo nada irregular.”

COMENTEMOS.

A ilustre Jornalista Gabriela Yamada, alias, competentíssima, apenas não atentou para um ponto.

No gabinete de Baleia Rossi, também está lotado desde janeiro de 2009, o ex-prefeito de Santo Antonio da Alegria, João Batista Matheus de Lima que responde na justiça por atos de improbidade em seu ultimo mandato.

Essas nomeações se não são ilegais, são no mínimo imorais.

Ademir Feliciano

Artigo Anterior

Altiaqui 2012

Próximo Artigo

Vereadores cassam mandato de 2º prefeito de Campinas em 4 meses

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *