Sertãozinho: fraude na saúde vem desde 2009

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

Quinta, 31 de Janeiro de 2013 – 23h20

Desvio de dinheiro público por meio de horas extras existe há quatro anos, segundo médico

 

 

Aline Bonilha

A Polícia de Sertãozinho já sabe como funcionou o esquema de desvio de dinheiro público envolvendo a secretaria da Saúde, investigado há mais de um ano a pedido do Ministério Público. Segundo o delegado Pláucio Fernandes, médicos terceirizados emprestavam seus nomes e contas bancárias para receber o dinheiro extra, através de horas supostamente trabalhadas a mais. O esquema pode existir há cerca de quatro anos.

Durante este mês, o delegado colheu depoimentos de três médicos da Comed, uma empresa que terceiriza médicos para prestarem serviços à secretaria de Saúde, através de um contrato com a Santa Casa.
“Os três médicos confirmaram participação, mas alegam que não se beneficiavam com o esquema e que apenas emprestavam os nomes e contas para outras pessoas que pegavam o dinheiro, mas deduzimos que eles tinham algum tipo de privilégio em troca”, diz Fernandes.

Na semana que vem mais um médico será ouvido. De acordo com o delegado, um dos médicos chegou a declarar que a fraude ocorre desde 2009. Fernandes não descarta outras formas usadas para desviar o dinheiro. Porém, até o momento, esta manobra é a principal investigação. A polícia agora vai confrontar todos os depoimentos colhidos com a documentação apreendida e a próxima fase da investigação será uma avaliação financeira, que poderá concluir o valor desviado.

A reportagem do A Cidade entrou em contato com a Comed e falou com o diretor comercial, Paulo de Carvalho. Ele preferiu não comentar o caso, alegando que o caso corre em segredo de justiça. No entanto, confirmou que os profissionais continuam prestando serviços normalmente. No fim do ano quatro funcionários da secretaria da saúde, entre eles dois homens e duas mulheres, foram indiciados como suspeitos de ter envolvimento na fraude.

Fonte: Jornal a Cidade.

 

Artigo Anterior

Sessão plenária de amanhã, dia 05/02.

Próximo Artigo

Corrupção deve ser punida com prisão, diz presidente da ONG Transparência

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *