Ministério Público pode pedir cassação de mandato de “Nanão”, “Toninho do Hospital” e “Augusto Segurança”.

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

 

Em data de 13 de março do corrente, eu, Ademir Feliciano, apresentei representação, mais uma vez fundamentado em provas, junto ao Ministério Publico de São Paulo, comarca Altinópolis, contra “Marco Ernani Hyssa Luiz” (Nanão), Antonio Sergio de Carvalho (Toninho do Hospital) e Augusto Ferreira Polli (Augusto Segurança) e outros.

A representação consistia em apresentação de provas que me foram entregues pelo vereador “José Carlos Da Silva” (Zé Cristino) que davam conta de horas extras pagas de forma exagerada a funcionários públicos municipais em época de campanha eleitoral.

Dos funcionários que receberam estas horas extras, consta na listagem apresentada ao Ministério Publico os nomes dos então à época candidatos e hoje vereadores, Toninho e Augusto, alem de outros candidatos que não foram eleitos.

Tudo levou-nos a crer que estes funcionários não se afastaram de suas funções, como determina a Lei eleitoral, para disputarem as eleições, sem os quais, não haveria o porquê de estarem recebendo horas extras.

No dia 23 de maio, o então Promotor de Justiça de Altinópolis, Dr. Adinan Aparecido de Oliveira, instaurou inquérito civil – IC para apuração dos fatos.

Tema: Improbidade Administrativa – Enriquecimento Ilícito Art. 9 da lei 8429/1992 (LIA).

Segue abaixo, cópia do andamento do inquérito, bem como, a representação por mim apresentada.

Ademir Feliciano

 



 

Artigo Anterior

Jornal da EPTV primeira edição mostrara hoje o descaso de Altinópolis com o meio ambiente.

Próximo Artigo

“Parabéns Policia Militar de Altinópolis”!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *