Ministério Público instaura inquérito para investigar “Alfalix’, prefeitura de Altinópolis, e o lixo!

Autor: Nenhum comentário Compartilhe:

 


Modéstia à parte, um título bem sugestivo!

O Promotor de Justiça da cidade de Altinópolis, Ilustríssimo Dr. Ivan Cintra Borges, após representação feita por nós (eu) com indícios de irregularidades na contratação da empresa “Alfalix Ambiental”, para distinção do lixo da cidade (resíduos sólidos), resolveu, por instrução que fornece documentos de justa causa, instaurar “Inquérito Civil” para apuração dos fatos.

Dos fatos: relatei a Sua Excelência o Promotor, que de acordo com denúncias que recebi via carta em meu escritório, a empresa fora contratada pelo município de Altinópolis, para destinação do Lixo (uma vez que não temos local apropriado para esta destinação), levando-o para a cidade de Guatapará. Ocorre que; o contrato rezava apenas um caminhão para este fim, mas, estavam sendo pagas, de acordo com a denúncia, vigem diária de dois caminhões.

A cidade à época dos fatos, só dispunha de um caminhão. Daí a estranheza!

O funcionário público do alto escalão municipal que me relatou a denúncia (Fonte irrevelável), apresentou detalhes significativos de haver nesta contratação, Fraude, irregularidade, má fé e burla ao erário. Praxe da malfadada gestão 2009/2012 Nanão/Ferreira.

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, em posição recente, já detectou falhas na contratação, conforme posto agora. O valor é bem salgado: R$ 564.000,00

DESPACHO DO AUDITOR ALEXANDRE MANIR FIGUEIREDO SARQUIS

PROCESSO: TC-000181/006/15

CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTINÓPOLIS

RESPONSÁVEL: MARCO ERNANI HYSSA LUIZ – PREFEITO À ÉPOCA

CONTRATADA: ALFALIX AMBIENTAL LTDA ME

OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS RELATIVOS À COLETA E TRANSPORTE DE RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES A SEREM REALIZADOS NO MUNICÍPIO DE ALTINÓPOLIS

ASSUNTO: CONTRATO VALOR: R$ 564.000,00

ADVOGADOS: EVALDO JOSÉ CUSTÓDIO – OAB/SP Nº 36.068 E OUTRA

INSTRUÇÃO: UR-6 UNIDADE REGIONAL DE RIBEIRÃO PRETO/DSFI.

Assim sendo, à vista das falhas verificadas no relatório da Fiscalização (fls. 488/498), ASSINO, com fundamento no artigo 2°, inciso XIII da Lei Complementar Estadual nº 709/93, à Prefeitura, bem como ao Sr Marco Ernani Hyssa Luiz, responsável pela contratação em apreço, o prazo de 30 (trinta) dias, para que apresentem suas razões ou justificativas.

Autorizo, desde logo, vista e extração de cópias no Cartório do Corpo de Auditores, observadas as cautelas de estilo.

Publique-se.

Transcorrido o prazo sem manifestação do responsável à época, reitere-se-lhe a notificação, dessa vez nos termos do artigo 91, inciso III, da Lei Complementar n° 709/93.

Após, retornem os autos ao Corpo de Auditores.

C.A., 08 de maio de 2015.

ALEXANDRE MANIR FIGUEIREDO SARQUIS

AUDITOR

“Alfalix” aliás, nunca é demais lembrar, é parte RÉU de processo por FRAUDE na reforma dos postos de saúde do município. Pagou-se a empresa, sem licitação e sem obra realizada.

Através da representação de nº 43.0186.0000172/2015-1, a Justiça apurará mais este evento remanescente da administração 2009/2012. Nanão Ferreira.

Comentemos:

Abre o olho Altinópolis; um monte de gente que mamou nas tetas gordas e caudalosas da administração 2009/2012 Nanão/Ferreira, aponta agora, como oposição aos maus feitos cometidos.

Não se iluda.

De vereador a ex-vice-prefeito, de ex- secretário a ex- pau mandado. Agora são todos, contra o Nanão.

As eleições se aproximam e eles vão querer te engambelar mais uma vez. Meu medo, é que você sempre cai na arapuca Altinópolis.

Se cair mais uma vez, aí não dá! Aí você merece mesmo o governo que tem há mais de 40 anos!

 

Ademir Feliciano.

 

 

 

 

Artigo Anterior

Reivindicação de vereador é atendida e funcionário público de Altinópolis terá aumento de salário.

Próximo Artigo

Faço questão de relembrar. Nunca é demais!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *